sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Momento do Sporting

Hoje apetece-me escrever sobre o Sporting, até porque pelo que tenho ouvido mais ninguém está interessado em falar do que se passa no relvado sportinguista.

Esta semana ouvi um senhor na Sic Noticias a falar sobre esta crise de resultados e exibições.

O que ele disse não é muito diferente daquilo que todos os outros dizem (nunca é).
O Sporting perde e joga mal devido à sua estratégia de comunicação, à montagem da sua estrutura do futebol porque o André Geraldes é muito novo e devido aos baixos rendimentos dos seus jogadores.
Por sua vez os baixos rendimentos dos seus jogadores são consequência de motivos alheios ao jogo: o Bryan foi pai, o Gelson está a negociar o contrato e o William e o Adrien querem sair.
Isto é o Rui Santos a falar de futebol.

Acho isto muito pobre. 
Quando queremos analisar o rendimento de uma equipa devemos começar por olhar para o comportamento tático e colectivo desta.

Acima de tudo o Sporting joga mal por responsabilidade do seu treinador. A construção do plantel foi deficiente, a aposta nos jogadores é indecifrável, a construção táctica da equipa é inexplicável, a leitura do jogo é incompreensível e o rendimento dos jogadores é um reflexo do trabalho nos treinos e do seu posicionamento em campo.

O grande problema do futebol do Sporting é a incapacidade do Jorge Jesus em ler o jogo e de não inventar.

O Jorge Jesus é um grande treinador, um péssimo manager, um mau líder e um egocêntrico insuportável. Tem as suas ideias e não sabe adaptar-se nem aceitar os seus erros. Por isto não evolui.

Gosta de trabalhar as suas equipas para ataques rápidos e constantes. Muita gente à frente e pouca gente atrás. Abdica do controlo, do equilíbrio, do domínio no meio-campo e da segurança. Por isto o seu maior sucesso sempre foi no saber colocar uma equipa a defender com poucos.

É um treinador de 4-2-4 com laterais ofensivos e um médio de chegada à área. Neste seu estilo de jogo não pode viver sem um médio defensivo capaz de fazer todas as compensações, não consegue viver com um ponta de lança de área e não funciona sem um segundo avançado móvel capaz de fazer a ligação de todos os sectores no meio-campo ofensivo.

Na época anterior o Sporting não correspondia às ideias do seu treinador mas o desta época é exactamente um espelho destas.

O ano passado, com o plantel que lhe foi dado, o Jorge Jesus adaptou os melhores jogadores às suas ideias. Foi nesse contexto que o João Mário foi encostado à direita.
O que é que vimos nesse Sporting?
Um ponta de lança móvel com capacidade de ir às alas, pressionar os defesas e aproximar as linhas – Slimani. Um segundo avançado a fazer o papel ofensivo de um 10. E um João Mário, portanto um extremo direito que na verdade era um médio, a jogar mais encostado à direita.
João Mário e Slimani potenciavam um jogo mais curto e apoiado no Sporting. Os jogadores actuavam mais próximos e com isso defendiam melhor, pressionavam melhor, corriam menos e multiplicavam as linhas de passe.

Esta não era uma equipa à Jorge Jesus mas era muito o reflexo daquilo que o treinador fazia os jogadores renderem nos treinos.

Nesta segunda época já preparou uma equipa à sua imagem, num 4-2-4 puro.

Contudo começou logo por falhar em 3 momentos:

- Construção do plantel. Foram vários os jogadores contratados sem qualidade, o que acaba com a profundidade da equipa levando ao desgaste físico e emocional em várias posições.

- Qualidade do treino. Alguma coisa aqui está a falhar pois não era expectável que o Jorge Jesus não conseguisse tirar qualquer rendimento de jogadores como o Markovic e Joel. Aliás, também do próprio Bryan.

- A dupla ofensiva. Para mim aqui mora a falha fatal do futebol do Sporting. Não só o Jorge Jesus ainda não conseguiu definir um jogador para a posição chave de todo o seu processo ofensivo, a de segundo avançado, como anda a jogar com um excelente ponta de lança cujo o estilo não se enquadra no Futebol do treinador. Por algum motivo o JJ não se cansa de demonstrar a sua insatisfação com o Bas Dost e não consegue sequer perceber a sua importância além golos.

Haveria um quarto ponto que seria o impulso para a invenção, principalmente na lateral esquerda. Bruno César a jogar ali é um erro enorme. Não só a equipa fica com um péssimo defesa esquerdo como perde um bom/útil segundo avançado.

A avaliação ao desempenho dos jogadores nunca pode ser independente do desempenho da equipa, e vice-versa obviamente.

Com isto quero dizer que jogadores que rendiam muito, como o Gelson e o Adrien, só podem baixar o seu rendimento com o acentuar do mau momento desportivo da equipa. É uma questão mental e também física. Além disso, andam a exigir a um miúdo de 21 anos que seja a solução de todos os problemas da equipa.

Depois também não podemos dissociar o desempenho dos jogadores do posicionalmento táctico da equipa.

O Bryan não é um jogador de sprints. O Bryan é um jogador de classe, de futebol apoiado e de construção. Nunca de correrias.

Hoje temos um Sporting a jogar muito mais largo. O avançado joga mais subido e central e o extremo direito joga mais aberto e vertical. Isto afasta os jogadores do Sporting, reduz os apoios e as linhas de passe.
Isto obriga a que o Bryan jogue mais para trás, corra mais e recorra mais ao passe longo. E depois com um Bruno César a lateral e um meio-campo menos apoiado, o costa-riquenho tem também de andar a desgastar-se mais defensivamente.

E não muito diferente é aquilo que se passa com o William. Não nos enganemos, o William Carvalho é um grande médio defensivo. Não é é um trinco. Está longe de ser um Fejsa.
O William não é rápido com a bola no pé mas sabe jogar, sabe avançar no terreno, sabe impor o físico, ler o jogo e combinar com os colegas.
Neste Sporting a exigência sobre o William é a de ser mais defensivo e solitário. Assim é mais pressionado quando tem bola, tem menos apoio e perde os momentos do jogo para fazer aquilo que sabe.

Se à partida as coisas estão mal construídas é normal que o desempenho dos jogadores não seja o melhor. Depois é ir somando o peso dos maus resultados e o acumular do cansaço.

Então no meio-campo é gritante a falta de cobertura tanto ao Adrien quando ao William.

Tudo isto pode melhorar com duas pequenas mudanças.

Jorge Jesus tem de parar de querer provar que transforma caca em ouro e começar a apostar nos melhores jogadores. Aqui tenho de concordar com o Bruno de Carvalho. O Sporting precisa de se livrar dos jogadores de menor qualidade, mesmo contra a vontade do treinador.

O Bruno César tem de ser colocado atrás do Bas Dost.

Como lateral é péssimo e todos os jogos são erros atrás de erros. Como segundo avançado nunca será um grande jogador mas as suas características podem servir muito a equipa, aumentando simultaneamente o rendimento colectivo e individual de todos os jogadores.
Ele consegue fazer a ligação entre os vários sectores do ataque, criando assim mais apoios ao Bas Dost, ao Bryan Ruiz e aos médios leoninos. Aproxima as linhas, elevando a capacidade de pressão e o número de linhas de passe, e liberta os médios para o momento ofensivo. Além disso é um médio com boa capacidade de meia distância o que iria logo proporcionar outras opções de finalização à equipa, obrigando os defesas adversários a dar mais liberdade ao holandês.

Agora, digam de vossa justiça.

18 comentários:

Carlos Gois disse...

Estou-me nas tintas para o sporting, não foi por falta de aviso, merecem esta situação se não pior. Cumprimentos

RMSCP disse...

Clap clap.

Enorme post. Está aqui tudo o que eu acho também. Gosto muito do JJ mas esta época tem sido uma desilusão.

Só discordo da parte do Bruno César. É verdade que é fraco para lateral e que a 2º avançado era onde poderia ajudar mais a equipa. O problema é que não existe no plantel um lateral esquerdo melhor que ele (incrível, mas é verdade...) e o Bryan precisa de um jogador com quem consiga combinar lá na frente se não passa ao lado do jogo. Além disso, penso que o André tem demonstrado posicionar-se bem entre linhas apesar de lhe faltar qualidade técnica (também derivado de muita falta de confiança) para executar melhor as jogadas.

Cumps

Anónimo disse...

Quero que o sporting se fo...

JPereira disse...

Gostei da análise. Concordo.

Saudações desportivas e (obviamente) leoninas!

Pedro Sousa disse...

Foi com prazer que li a sua opinião, o Jorge Jesus pensa ser um "one man show", sò que não o é, pouco valor dava à estrutura técnica que o suportava, só se apercebeu dela quando chegou ao Sporting e.... não a tinha, não a tem e nem a vai ter.
Isto só para acrescentar um pouco mais ao seu resumo do para ali vai no Sporting.
Sinto-me que nem Nero a ver Roma a arder! Eheh

AXN disse...

Tanto trabalho !...Dás demasiada Importância, a quem não tem importância nenhuma !!!

Eu quero que o, o Brunalgas, o Me$$ias e o S@porting (sem a Máfia bancária, que desapareça de vez ...!!!) S@FODAM !!!

alexanderson disse...

se fizessem analises deste estilo nos programas desportivos, a cultura desportiva em portugal mudava completamente, independentemente de concordar ou discordar, sempre e uma analise com pes e cabeça e onde se ve justificada as razoes. bom trabalho

Frank disse...

Nao concordo com nada do que escreveu lol assim esta a dar tacticas ao mestre da tactica,puxa deixe la estar o Bruno Cesar a defesa esquerdo Bryan Ruiz a desgastar-se Wiliam Carvalho a jogar lento Arien a nao render entre Gelson e outros deixe jj errar a vontade para nos preocupartmos com os corruptos do norte somente.

troza disse...

Eu não percebo nada de bola dessa forma mas é tão bom encontrar algo que explica o futebol. Muito obrigado!

Miguel Costa disse...

Boa ideia! Porque não falar do Sporting olhando apenas para a sua equipa?!

Percebo a proposta mas acho que fazes do Bruno César um jogador que ele não é. Não tem a clarividência que a posição exige. Podia ser o Bryan Ruiz, se tivesse fibra e killer instinct. E mesmo assim, só ficavam um bocadinho melhores.

O Sporting não tem grande team. O Patrício é um bom guarda-redes. Os laterais são medíocres, o Coates é só razoável, o Ruben Semedo tem muitííissimo que aprender. WC e Adrien são bons mas são só dois. O Gelson tem talento mas demasiado peso às costas. O Dost é bom finalizador mas pede um jogo muito formatado. Não têm grande team.

Ainda assim, acho que são fortes candidatos a alcançar um lugar europeu.

José Ramalhete disse...

Espero que o Jesus não venha ler o post. Ainda nos passa à frente!

Anónimo disse...

Bom, tenho de me identificar como sportinguista, mas a primeira coisa que tenho de fazer é dar os parabêns à análise, porque explica quase tudo o que se passa de realmente mau com a equipa, e não a porcaria da análise que se faz nas televisões ou Blogues da treta como o Visão de Mercado, e não é só o Rui Santos, excetuando talvez o Rui Malheiro mais ninguém diz nada de jeito sobre futebol, até o Freitas Lobo cada vez que o ouço ultimamente parece que regrediu.

Sobre a equipa propriamente dita, o melhor onze na minha opinião é o que jogou em Madrid, com o Bruno César a fazer de segundo avançado e ao mesmo tempo ajuda a equilibrar mais a equipa. A única diferença é que o lateral direito agora é o Esgaio e não o João Pereira, espero que o JJ mande embora o Schellotto que é um aborto.

E sim, não se pode esquecer que o João Mário o ano passado só foi para aquela posição depois do problema do Carrillo, a partir daí e nas fases em que o Teo estava com a cabeça no lugar foi quando o Sporting jogou melhor e mais futebol, para mim superior ao que era jogado em 2000 e 2002.

O problema é que o JJ não quer mudar a forma de jogar, só gosta de laterais cavalões a fazer piscinas e com 2 neurónios e provavelmente nem sequer pensa ou pensou num jogador com perfil diferente para equilibrar mais a equipa.

Ver esta equipa a jogar é deprimente, ninguém joga por dentro, o treinador muda constantemente de laterais, segundo avançado é um diferente todos os jogos, assim não há confiança que resista.

Quanto ao Dost não deixa de ser curioso que o JJ fale com ar enfastiado dele, mas afinal quem é que o escolheu? Não foi ele o grande Manager!
Dito isto, neste momento com a equipa a jogar tão mal nem vou ver mais 90 minutos desta treta, só saber os resultados sem grande interesse, porque não dá para ganhar muitos jogos a jogar tão pouco e pelos vistos com um treinador que não sabe adaptar a sua forma de jogar em funçao do momento, afinal para ele o 4/3/3 é coisa muito fácil de ser anulada.

Finalizando só para dizer que apenas fiz este comentário extenso porque além da depressão que é a forma como se fala de futebol na televisão, os blogs do SCP também acham que o culpado é o JJ e que se viesse o Iuri, o Palhinha e Podence éramos campeões, e claro a culpa é do JJ e o Presidente coitado é vitima do ataque do Estado Lampiânico. Deprimente e não é de admirar que em 40 anos só ganhámos 4, isto são 10%, mas o problema maior nem é esse, é que desde essa altura até agora chegámos a ter mais treinadores num ano do que o Porto de Pinto da Costa tinha numa década.A única coisa boa que o Preseidente fez foi ficar amarrado ao contrato do JJ, porque senão já estava o Zé Eduardo à porta do aeroporto.

Dificilmente voltarei aqui a comentar, que isto é um espaço do Benfica e deve ser mais um dos sítios onde o nome mais carinhoso é de lagarto ou sapo para baixo.

SCP 1979

jorgen80 disse...

O problema do Sporting tem a ver com as expetativas criadas que foram fortemente defraudadas. É só ver como cada ponto perdido é recebido como uma facada pelos adeptos. Adeptos esses que estão mais que habituados a ver a equipa, por esta altura, já com poucas hipóteses de ser campeão, como demonstra o passado não tão recente.

O plantel do Benfica é muito melhor que do ano passado que foi campeão. O do Sporting, inicialmente, previa-se que teria mais opções no plantel, mas já se esperaria que o onze não seria tão forte. Os adeptos e a estrutura, não souberam colocar um travão, e já ambicionavam o impossível-Falava-se até no título de campeão europeu...

Como aconteceu no Benfica, e manteve-se no Sporting, a forma de jogar do Sporting leva a que a equipa dê o estouro em Fevereiro ou Março- neste caso ainda foi mais cedo. Isto acontece porque JJ tem um onze base, e depois apenas confia em 2 ou 3 jogadores do resto do plantel. Não passa confiança aos que "estão de fora", não é capaz de arriscar com a formação, de ter estratégia alternativa consoante o que tem ao seu dispor. Ou joga-se como quer, ou joga-se como quer. Ponto.

Lembro-me de Jesus, logo após ter sido campeão na primeira época pelo Benfica, de referir que na segunda, se mantivesse a base da equipa, a Champions não seria uma miragem... pois bem, o ciclo repete-se.


Tudo isto, não invalida que é provavelmente o melhor treinador em Portugal. Com uma ideia de jogo, que com os jogadores certos, destroça qualquer oponente do nosso campeonato.

Anónimo disse...

Eu quero que o Sporting se foda. Assim, sem mais rodriguinhos em excelente português: se foda.

Venho a este blog para respirar Benfica, não para balelas sobre outro clube, sendo logo esse o nosso arqui-rival! Para isso, vou a sítios generalistas, especialistas e outros com a mania de o serem. Não queiram ser um desses. Aqui, é mesmo assim: adorei que tivessem empatado é que tenham sido roubados ontem!

Pedro B.

lawrence disse...

A "casa" que BdC e JJ, com o fervoroso ámen dos adeptos e dos bancos, contruíram e para a qual escolheram o tijolo e o cimento que quiseram, não precisou que ninguém a abanasse para que esteja em risco de derrocada.
Também e mais uma vez, JJ esteve-se lixando para as provas "menores" e apostou as fichas todas no campeonato com o resultado que se vê.
Também e mais uma vez o Sporting não contribuiu com nada para a pontuação das equipas Portuguesas no ranking que dá acesso às provas europeias, como tal, Liga Europa (se conseguirem) e nem isso merecem.
E quando vejo gente com mais de 50 anos de experiência de vida darem apoio e cobertura a tais desmandos, concluo que o Sporting Clube de Portugal que respeitava já não existe.

Anónimo disse...

curiosamente eu acho o contrário. O presidente lá deles fez o maior disparate ao renovar o contrato. Foi um tiro no pé, um contrato milionário a longo prazo. Não pode fugir dele, e deu carta branca ao homem.

Mas eu também não quero saber do que se passa nessa casa.

Benfiquista Primário disse...

Excelente análise! Era bom que os programas de futebol da TV falassem de futebol, como se faz neste post...o 'Grande Área' é o único que se aproxima...

Quanto ao tema tragicómico do post, há décadas que o digo: o problema do Sporting é...ser o Sporting. É um buraco negro ao qual nenhum talento sobrevive. Conseguiram perder um campeonato com Figo e Balakov, treinados por Bobby Robson...o talento ali só é relevante porque eleva as expectativas, o que acaba por dar maior magnitude cómica quando vem o desenlace do costume - não ganhar nada.

Desde que JJ foi para lá, previ um confronto de titãs entre um grande treinador e um buraco negro. No ano passado, o confronto ainda foi equilibrado. Mas o ano passado foi uma aberração histórica no futebol português pós-25 de Abril.

Este ano voltou tudo ao normal. A verdade é que o Sporting só é considerado ainda grande por herança histórica e cultural. Há quatro décadas que não é grande, excepto na capacidade de dar tiros nos pés e gerar comédia involuntária.

Daniel Oliveira disse...

Miguel Costa,

Não acho que esteja a fazer do Bruno César aquilo que ele não é. Tento no texto explicar que o acho um jogador muito mediano. Simplesmente as suas caracteristicas podem ser úteis para aproximar os vários sectores de ataque da equipa. E neste momento não vejo ninguém no Sporting com ritmo de jogo e confiança para jogar ali. Seria sempre só uma desenrasco temporário.